Morre o escritor João Gilberto Noll, vencedor de cinco Jabutis, aos 70

Informação foi confirmada pela família do autor gaúcho



Morreu, aos 70 anos, João Gilberto Noll, vencedor de cinco prêmios Jabuti. A família confirmou o falecimento do escritor gaúcho, mas a causa da morte não foi divulgada. Segundo familiares, o velório já está sendo realizado e o enterro está previsto para as 18h desta quarta-feira, no Cemitério João XXIII, em Porto Alegre.

 

Com 18 livros publicados — 13 romances, três compilações de contos e duas obras infantojuvenis —, Noll marcou seu nome na história da literatura brasileira com títulos como “O cego e a dançarina”, de 1980. Pelo livro de contos, recebeu, além do Jabuti, os prêmios de revelação do ano, da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e de ficção do ano, do Instituto Nacional do Livro. Foi traduzido para o espanhol, o inglês e o italiano.

Nascido em Porto Alegre em 15 de abril de 1946, Noll viveu no Rio de Janeiro entre 1969 e 1986, onde concluiu a faculdade de Letras, fez inúmeras colaborações em jornais como “Folha da Manhã” e “Última Hora”, e deu aulas na PUC.

Em entrevistas, o autor costumava dizer que não gostava de planejar muito os caminhos de sua ficção. Em 2008, quando participou da Festa Literária de Paraty, em mesa compartilhada com a cineasta argentina Lucrécia Martel, Noll comentou sobre seu processo de criação.

— Eu não escrevo com uma programação. Deixo que os cavalos mentais me arrastem. Me deixo levar e, só depois, me torno um obsessivo pela limpeza do texto — disse ele, que havia acabado de lançar “Acenos e afagos” (Record), romance considerado pelo crítico José Castello “o mais forte e, por isso, o mais desprezado livro de Noll”. — Mas eu não sou um sujeito naturalista.

Era, sim, um autor interessado em explorar o incosciente. Tanto que se dizia muito influenciado por Nelson Rodrigues — escritor que, em sua percepção, foi incomparável em tratar do inconsciente do homem médio. A solidão e a perda de sentido eram temas recorrentes em suas obras.

 

Filósofo ateu reflete sobre a existência de Deus

Filósofo e professor aposentado da Université Paris VIII, Dany-Robert Dufour articula diversos campos do conhecimento em seu novo livro lançado no Brasil.

Em “A Existência de Deus Comprovada por um Filósofo Ateu”, publicado pela editora Civilização Brasileira, ele investiga antropologia, história, filosofia política e psicanálise para analisar a propensão humana a crer em Deus.

Já nas primeiras páginas do livro o autor declara que não se converteu. E mesmo diante da pesquisa diz que até hoje não sentiu nenhum sinal prenunciador de uma conversão. Sua intenção com o livro é trazer para o campo da discussão filosófica a forma e o lugar da presença do divino na modernidade e na pós-modernidade.

Dufour baseia sua argumentação na neotenia humana, tese neodarwiniana que vê o homem como um ser inacabado. Por essa lógica, o filósofo afirma que as instituições que constituem a cultura suprem uma carência nativa e levam à necessidade de invenção de um par sobrenatural.

No livro, ele defende que a existência de Deus na cabeça dos homens é uma necessidade de estrutura.

O professor questiona se, eliminada a existência do “outro sobrenatural”, o homem não estaria condenado ao radicalismo, à depressão diante de um mundo menos simbólico, à tentação de se recriar com o apoio das tecnociências ou até mesmo à sua própria extinção.

Ex-diretor de pesquisa do Collège International de Philosophie, dany Robert- Dufour ministra com regularidade aulas no exterior, especialmente no Brasil, na Colômbia e no México. É autor também do livro “A Cidade Perversa: Liberalismo e Pornografia”.

 

 

Eduardo Cunha pede que Justiça impeça livro de ficção sobre sua prisão

Preso desde outubro do ano passado, o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) entrou com ação na Justiça contra a editora Record, que está lançando o livro Diário da Cadeia, obra de ficção cujo narrador é identificado como Eduardo Cunha (pseudônimo).

O ex-parlamentar, preso preventivamente na Lava Jato por crimes como corrupção e lavagem de dinheiro, pede que a editora seja impedida de distribuir exemplares do livro e multa de R$ 100 mil por danos morais.

À época em que foi preso, Cunha anunciou que escreveria um livro sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff. O livro de ficção pega carona na intenção do ex-deputado e traz na capa o subtítulo “Com trechos da obra inédita Impeachment”.

Veja um trecho da obra que já está sendo divulgada pela Record: 

“Hoje cruzei com o Pallocci. Teve a coragem de colocar a mão em mim e disse que vai ficar tudo bem. Para os do PT nunca mais vai ficar. Eu conheço a história política desse país abandonado por Deus, então vou poder mostrar como os do PT foram se aninhando no poder e tomando conta de tudo. Os do PT adoram o Estado cuidando da vida dos outros. 

Agora o Estado está trazendo todos presos aqui. Bem feito.

Escolhi a primeira frase do meu livro, uma citação: ‘A história vai ser gentil comigo, pois vou escrevê-la’. Winston Churchill. 

Se estou hoje aqui, por causa dos do PT, também tenho essa missão. Resolvi começar meu livro Impeachment com o PC Farias para mostrar que não está todo mundo a salvo. Já caiu a Dilma, o Temer não está tão protegido como acha. Não recebi nenhum recado até agora, mas os rapazes de serviço não querem falar comigo e o advogado claro sabia que estavam gravando.

Uma dificuldade por aqui: contratar serviços. 

Ainda não consegui organizar tudo porque estou completando a leitura. Deus está comigo nessa missão.”

Programação do Flipoços 2017 já está disponível


A tão aguardada programação oficial do Flipoços 2017 – Festival Literário de Poços de Caldas, que vai acontecer de 29 de abril a 07 de maio, está disponível.

Este ano, para facilitar a sua navegação, a programação do Flipoços está distribuída pelos espaços onde acontecem as atividades. Escolha o espaço desejado e você terá acesso a todos os dias e horários do que vai acontecer em cada espaço. Agende-se para estar em Poços de Caldas, no Festival Literário mais charmoso de Minas Gerais.

Sobre o Flipoços

O Festival Literário de Poços de Caldas, Flipoços, tem se firmado como um dos mais importantes festivais de literatura do Brasil. Conceituado não só pelo grande conteúdo e diversidade de temas, ele também, promove os novos escritores, formando assim uma legião de militantes das letras.

O Flipoços tem características próprias e busca no Brasil e exterior o que há de melhor na Literatura e suas particularidades oferecendo a todos os tipos de públicos, de forma gratuita, contato direto com os mais variados estilos de autores.

O Flipoços, busca na diversidade cultural, o despertar para os livros e leitura. O estimulo ao pensamento estético e ético em relação à vida e ao mundo.

Prepare-se! O Flipoços 2017 acontece de 29 de abril a 07 de maio de 2017.

 

Livro infantil de Clarice Lispector terá nova edição com ilustrações de neta da escritora

Ilustração de Mariana Valente, neta de
Clarice Lispector | Reprodução

Veja só que fofura. A Rocco prepara uma nova edição de “A mulher que matou os peixes”, livro infantil de Clarice Lispector. Chega às prateleiras em maio e tem ilustrações de Mariana Valente (veja uma ao lado), que é neta de Clarice. Esta nova edição traz a reprodução da dedicatória que Clarice Lispector fez aos filhos, Pedro e Paulo, e aos netos (que nem tinham nascido), na edição original da obra, de 1968. A dedicatória é de 17 de agosto de 1976.

Companhia das Letras publicará livros dos Obama no Brasil

A Companhia das Letras confirmou, na manhã desta segunda-feira (13), que publicará no Brasil os livros do casal Barack e Michelle Obama. O lançamento fará parte de uma ação global capitaneada pela Penguin Random House, com quem o casal fechou um acordo para a publicação mundial dos livros.

De acordo com fontes do Financial Times, os Obama fecharam um contrato recorde que passou a marca dos US$ 65 milhões. Em comunicado, Luiz Schwarcz, CEO do Grupo Companhia das Letras, disse que a sua editora é guiada por dois valores fundamentais: promover uma ampla perspectiva de mundo e dar voz à diversidade da experiência humana.

“Publicar os livros do ex-presidente Obama e de sua esposa Michelle será uma honra e uma missão em um mundo e em um país que precisam de mensagens esclarecedoras. Vamos garantir, com um verdadeiro senso de responsabilidade, que os livros alcancem a maior audiência possível no Brasil”, completou.

Ainda no comunicado, a Penguin Random House anunciou que fará a doação de um milhão de exemplares dos livros para a First Boook, uma ONG parceira da Penguin Random House e da Casa Branca, no projeto Open eBooks, A entidade se dedica à promoção igualitária do acesso à educação, fornecendo livros, materiais de ensino e outras ferramentas de educação para crianças necessitadas nos EUA e no Canadá.

Os Obama também planejam doar uma parte significativa de livros para projetos de caridade. De acordo com a Companhia das Letras, ainda não há uma data de lançamento.

 

Fonte: PublishNews

Editora lança obras de Gabriel García Márquez em formato de audiolivro

Esta semana (06/03), Gabriel García Márquez completaria 90 anos. Em comemoração ao aniversário do escritor colombiano, morto em 2014, a editora Random House lançou seis obras de sua autoria em formato de audiolivro: “Ninguém escreve ao coronel”, “Crônica de uma morte anunciada”, “Memória de minhas putas tristes”, “Doze contos peregrinos”, “Do amor e outros demônios” e “Viver para contar”. Os títulos, no entanto, ainda não foram traduzidos para o português e estão disponíveis em espanhol.

Além das obras do escritor, que venceu o Nobel de literatura em 1982 pelo conjunto da obra, o catálogo de audiolivros da editora reúne mais de 140 autores como Pablo Neruda, Isabel Allende, Arturo Pérez-Reverte, Ken Follett, Julia Navarro, Stephen King, Ildefonso Falcones, John Green, Roberto Bolaño e Mario Vargas Llosa.

Segundo Ana Ximena Oliveros, diretora de comunicação da Random House colombiana, os países que mais consomem audiolivros são Estados Unidos e Espanha. Só no ano passado, a editora vendeu mais de 40 mil audiolivros em espanhol.

Outro dado, revelado pela Associação de Editores de Audiolivros, é que em 2015 foram publicados cerca de 36 mil títulos nos EUA, número que chega a ser oito vezes maior se comparado com 2010. As vendas totais alcançaram mais de US$1 milhão, o que representa um aumento de 20% em um ano.

Inscrições para a 10ª edição do prêmio vão até o dia 20 de abril

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo abriu essa semana as inscrições para a 10ª edição do Prêmio São Paulo de Literatura. O edital, publicado no Diário Oficial do Estado e disponível nos sites do Prêmio e da Secretaria da Cultura, receberá candidatura de romances em duas categorias: Melhor Livro do Ano e Melhor Livro do Ano – Autor Estreante – esta última dividida em duas modalidades Autores com Mais de 40 Anos de idade e Autores com Menos de 40 Anos de idade.

Os candidatos podem se inscrever até dia 20 de abril. O prêmio se destaca por reconhecer os grandes nomes e os novos talentos da literatura contemporânea, abrindo portas não só para escritores nacionais, mas também para concorrentes estrangeiros com obras escritas originalmente em língua portuguesa e primeira edição mundial no Brasil em 2016. Na categoria Melhor Livro do Ano, poderão se inscrever autores que já publicaram romances de ficção anteriormente. Já na categoria dos estreantes, os escritores podem ter obras publicadas em outros gêneros, desde que o livro inscrito seja o seu primeiro romance de ficção.

O Prêmio São Paulo de Literatura é o maior do país em valor de premiação individual: R$ 200 mil para o Melhor Livro do Ano e R$ 100 mil para cada autor estreante nas submodalidades +40 e -40. Na última edição, Ana Beatriz Bracher levou o prêmio de Melhor livro do ano com a obra Anatomia do Paraíso (Editora 34) e Rafael Gallo e Marcelo Maluf ganharam nas categorias Autores Estreantes.

Max Moreno na edição especial de número 500 da Revista COTIDIANAS

Olá, pessoal.

Tudo bem?

Recentemente tive o privilégio de ser convidado a participar da edição (especial) de número 500 da revista eletrônica COTIDIANAS. Um blog dedicado à musica, cinema, literatura e muito mais. Confira abaixo um trecho do conto “Peso Morto”.

QUANDO A NOTÍCIA DO ACIDENTE CHEGOU ao IML de Santa Mônica, Flávio sorriu. Pensou logo em André, seu parceiro de longa data no recolhimento de corpos de pessoas mortas em acidentes nas rodovias da região. A informação inicial dava conta de que as vítimas, dessa vez, era uma senhora — de uns sessenta e tantos anos — e uma moça com idade entre vinte e vinte e cinco anos.

A caminho do local do acidente, Flávio estampava no rosto uma satisfação mórbida. Tinha os olhos vidrados na estrada, as pupilas dilatadas, um sorriso malicioso congelado no canto da boca e o pé pressionando o pedal do acelerador, enquanto André, absorto, fitava através da janela do rabecão a paisagem rural que se estendia por dezenas de quilômetros.

— Isso é uma tremenda doideira! — disse André, sem chegar a dirigir o olhar ao parceiro de profissão.

— A vida é assim mesmo, cara, relaxa! — Flávio mantinha um tom de voz amistoso, e a mesma expressão de satisfação ainda estava instalada em seu rosto. — Azar de uns, sorte de outros. Confira o conto completo aqui.

Lista dos livros mais vendidos encara batalha espiritual

Padre Manzotti alcança a terceira posição geral com mais de 2,5 mil exemplares vendidos de ‘Batalha espiritual’

Livro do padre Reginaldo Manzotti, ‘Batalha
espiritual’ conquistou a terceira posição
da lista Geral | © Divulgação

Se na semana passada O homem mais inteligente da história (Sextante), de Augusto Cury, quase perdeu a liderança da lista geral para O garoto do sonho (Astral Cultural), nesta semana Mario Sergio Cortella conseguiu o feito com o seu Por que fazemos o que fazemos? (Planeta) ao vender 3.098 exemplares. No entanto, o destaque ficou com o livro Batalha espiritual, do padre Reginaldo Manzotti, que chegou ao terceiro lugar da lista geral com 2.561 cópias vendidas. Batalha espiritual é a quarta obra do padre curitibano que figura a lista de mais vendidos do PublishNews.

Na lista de Não Ficção, a rainha do rock, Rita Lee, segue soberana com sua autobiografia publicada pela Globo Livros, que nessa semana vendeu 1.762 exemplares. Ainda sob os efeitos do carnaval, a biografia Uma história do samba – As origens (Companhia das Letras), de Lira Neto, subiu da 19ª para a 13ª posição ao vender 432 cópias.

Na lista de Negócios, o livro Mentalidade (Gente), de Pablo Paucar, estreou no primeiro lugar, ficando em quarto da lista geral, ao vender 2.030 exemplares. De volta ao mosteiro (Sextante), de James Hunter, e Empreendedores inteligentes enriquecem mais (Sextante), de Gustavo Cerbasi, voltaram para a lista ficando na 18ª e 20ª posições respectivamente.

Entre os estreantes da lista, também estão Algo belo (Verus), de Jamie McGuire, na 17ª posição de ficção, e A noiva do capitão (Gutenberg), de Tessa Dare, na 20ª posição da mesma lista. Espada de vidro (Seguinte), de Victória Aveyard, e Malala, a menina que queria ir para a escola (Cia das Letrinhas), de Adriana Carranca também estrearam respectivamente na 13ª e 14ª posições da lista Infantojuvenil. Já Escolha sua vida (Sextante), de Paula Abreu, apareceu pela primeira vez emplacando a 17ª posição da lista de Autoajuda.

No ranking semanal das editoras, a Sextante voltou a liderar com 16 títulos. A Intrínseca caiu para a segunda posição, com 14, e o Grupo Companhia das Letras segue na terceira posição com 13 títulos. Já no ranking anual, Sextante e Intrínseca estão empatadas em primeiro lugar, com 31 livros, na briga pelo Prêmio Avena PublishNews de Editora do Ano de 2017.

O volume de vendas na semana apresentou uma queda de quase 7% em comparação com a semana anterior.

 

Fonte: PublishNews.