Livro “13 Razões para Votar no PT”

Chega às livrarias nesta semana o livro “13 Razões para Votar no PT” (editora Matrix). A obra satírica traz na capa frase de Marco Antonio Villa, da Jovem Pan (“o melhor livro que o Lula já leu”), e, nas orelhas, textos de Kim Kataguiri (“a maior obra jamais escrita por um petista”) e de Danilo Gentili (“conseguiu descrever a inteligência e o caráter daqueles que defendem Lula e o PT”). Dentro, há 73 páginas em branco. O livro é cópia de “O que se Perde Sem Maluf”, lançado nos anos 1980.

 

 

Apenas 37% das editoras brasileiras produzem e vendem e-books

Censo do Livro Digital mostras que mercado ainda engatinha no Brasil

Apenas 37% das editoras brasileiras produzem e vendem e-books. Já as receitas com a comercialização de livros digitais representam 1,09% do faturamento total das editoras, alcançando R$ 42.543.916,96. Esses números, que revelam uma chegada ainda tímida dos e-books no país, foram revelados pelo 1º Censo do Livro Digital, uma iniciativa inédita do Sindicato Nacional dos Editores de Livro (Snel) e da Câmara Brasileira do Livro (CBL).

O estudo, realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), analisou dados relativos ao ano de 2016 de 794 editoras, das quais apenas 294 trabalham com livros digitais. O objetivo foi fazer um diagnóstico dos e-books no país que sirva de base para comparação nos próximos anos. A Fipe já realiza, anualmente, a Pesquisa Produção e Vendas do Mercado Editorial Brasileiro.

Para Marcos da Veiga Pereira, presidente do Snel, a primeira reação ao ver o resultado do censo foi de surpresa. Pereira ressalta que as obras autopublicadas nas plataformas da Amazon e da Saraiva não foram computadas porque as empresas não abrem os números.

— A surpresa foi a quantidade de editoras que produzem e comercializam e-books no Brasil. É um índice abaixo do que eu esperava — diz Pereira.

Já Luís Antônio Torelli, presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL), admite certa decepção com o número, mas acredita numa influência negativa da crise que afeta o setor há alguns anos.

— Estamos vivendo uma crise horrorosa. Temos observado uma queda do número de novos ISBNs (que reflete um número menor de lançamentos). O e-book ainda é uma novidade que exige investimento para ser bem feito. Acredito que as editoras estejam com o pé no freio — afirmou Torelli.

Fonte: O Globo

Biblioteca Nacional lança aplicativo

Disponível para Android e IOS, aplicativo permite que o público consulte o acervo da instituição

Biblioteca Nacional lançou um novo aplicativo gratuito para as plataformas Android e IOS, que permite a consulta ao acervo da instituição a partir de dispositivos móveis.

O aplicativo oferece recursos de busca por título da obra, nome do autor e assunto; também é possível filtrar pelo tipo material – álbum, atlas, dissertação, gravura, livro etc. –, bem como pelo acervo no qual a obra está registrada, de acordo com classificação das obras no sistema da BN – Ausentes, Cartografia, Iconografia, Obras Raras, Manuscritos, Música, Periódicos, Periódicos Raros, Referência e Testes e Dissertações. Por fim, o usuário pode marcar a opção de busca apenas por objetos que possuem conteúdo digital associado.

Liana Amadeo, Coordenadora Geral do Centro de Processamento e Preservação da Biblioteca Nacional, justifica: “a Biblioteca Nacional ficou ainda mais acessível para estudantes e pesquisadores. Isso corta as amarras: você tem a Biblioteca Nacional literalmente na palma da mão”.

Novo romance de John Green sai em novembro

Com tiragem inicial de 200 mil exemplares, Intrínseca lança em outubro ‘Tartarugas até lá embaixo’

Aguardado por milhões de leitores em todo o mundo, o novo romance do norte-americano John Green chega às livrarias no dia 10 de outubro. O livro Tartarugas até lá embaixo, já teve a capa na versão brasileira divulgada e é o primeiro lançado pelo autor em seis anos.

John Green tem quatro best-sellers publicados no Brasil, todos pela Intrínseca, entre os quais estão “A culpa é das estrelas e Cidades de papel, adaptados para o cinema. De acordo com a editora, juntos, os livros venderam no país mais de 4,5 milhões de exemplares. Para o lançamento de Tartarugas até lá embaixo, a Intrínseca prepara uma tiragem inicial de 200 mil cópias.

A trama da obra acompanha Aza Holmes, uma menina de 16 anos que decide investigar o paradeiro de um bilionário desaparecido misteriosamente. Aza faz de tudo para agir como uma grande detetive, enquanto tenta também ser uma boa filha, amiga e aluna. Paralelamente, ela precisa ainda encontrar formas de lidar com seu transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Tartarugas até lá embaixo é o mais pessoal dos livros de John Green, autor que desde criança teve a rotina afetada pelo TOC. Recheado de frases sublinháveis e repleto de referências à cultura pop, o livro fala sobre amizades duradouras, reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e estranhos répteis neozelandeses.