Correios suspendem serviço de envio de livros e preocupa livreiros

Correios suspendem serviço específico para envio de livros e isso causa preocupação entre livreiros | © Divulgação / Correios

Com as lojas físicas fechadas, restam aos livreiros – independente do porte – a aposta das suas poucas fichas é no comércio eletrônico ou na venda a distância – por telefone, whatsapp ou qualquer outro canal que não demande o contato físico.

Mas agora, esses comerciantes terão mais um obstáculo pela frente. É que os Correios suspenderam o serviço de Marketing Direto, muito utilizado por livreiros para o envio de seus produtos. É nessa categoria que está o envio de Impresso Normal – Registro Módico, produto dos Correios pensado exatamente para envio de livros, revistas, guias, anuários, boletins, catálogos e jornais segmentados.

As alternativas são o PAC e o Sedex, serviços consideravelmente mais caros do que o Registro Módico.

“A interrupção dos envios pelos Correios de pacotes como impressos com registro módico praticamente dobra o custo do frete em um momento que fez das vendas on-line o último refúgio dos livreiros”, comentou o sebista Cid Vale Ferreira, do Clepsidra, que tem duas lojas, ambas fechadas.

Outro livreiro que está preocupado com a medida é Benjamin Magalhães, da Livraria e Sebo Lima Barreto. “É uma tragédia para nós, livreiros de sebo, que temos nessa venda on-line (via Estante Virtual) nosso principal ganha pão. Ainda mais agora com o comércio de rua obrigado a fechar as portas”, comentou.

A Estante Virtual, marketplace que reúne livreiros e sebistas, enviou um comunicado aos seus vendedores dizendo que estendeu os prazos de entrega de 30 para 60 dias na modalidade de entrega “Normal/Econômica” e recomendando que eles aguardem para postar os livros quando os Correios normalizarem os serviços.

Correios fecham?

Ao assinar a medida provisória 926 e o decreto 10.282, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), definiu o que são “serviços essenciais”, aqueles que, neste momento de pandemia, precisam se manter em funcionamento. No artigo terceiro do decreto, está definido que os serviços postais são essenciais. Os Correios, portanto, permanecem abertos e em funcionamento.

Na tarde desta segunda-feira (23), o PublishNews entrou em contato com os Correios via sua assessoria de imprensa solicitando informações e um posicionamento da estatal sobre a suspensão do serviço. A assessoria de imprensa nos solicitou um prazo para responder. Até o fechamento desta edição, no entanto, a estatal não tinha nos retornado.

Fonte: PublishNews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *