Editores deixam a Companhia das Letras para fundar nova editora

André Conti e Flávio Moura saem, “sem briga”, e, juntos com Leandro Sarmatz, Marcelo Levy e Ana Paula Hisayama, vão criar uma editora para publicar literatura

Flávio Moura, ex-editor da Companhia das Letras

 

O repórter Maurício Meireles, da “Folha de S. Paulo”, relata que Flávio Moura e André Conti não são mais editores da Companhia das Letras. Eles saíram para formar uma nova editora, em sociedade com Leandro SarmatzMarcelo Levy e Ana Paula Hisayama, ex-agente literária da Agência Riff.

Maurício Meireles não conseguiu apurar o nome da nova editora. Os sócios, que não são potentados, informaram que investidores decidiram bancá-los — o que prova que o mercado do livro, apesar da crise e da suspeita de que o livro impresso vai desaparecer, está mais ativo do que pensa nossa vã filosofia.

André Conti disse à “Folha” que sua editora “não será uma Companhia das Letras, obviamente, mas também não será uma pequena editora independente. É uma casa para concorrer com as editoras literárias”.

O presidente do Grupo Companhia das Letras, Luiz Schwacz, não brigou com os novos concorrentes, que prometem não fazer nenhuma investida sobre seus escritores. “Uma das principais tarefas do publisher é a de ajudar a formar editores e profissionais do livro. Ao ver os jovens editores que agora nos deixam ter a coragem de iniciar um empreendimento editorial no Brasil, fico orgulhoso e esperançoso. Torço para que os anos de aprendizado na Companhia das Letras sejam úteis para a nova editora e desejo a ela muito sucesso”, sublinhou ou editor da Companhia das Letras, que, tempos atrás, deixou a Editora Brasiliense para fundar sua própria casa editorial. Assim como Flávio Moura e André aprenderam muito com Luiz Schwacz, este aprendeu quase tudo, inclusive o que não se deve fazer, com Caio Graco Júnior.

A múlti Penguin é dona de 45% da Companhia das Letras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *